quarta-feira, 21 de agosto de 2013

**





 HÁ UM CHÃO 
QUE DE MIM FOGE... 
QUANDO O AMOR  
COMIGO DANÇA...






No olhar onde fundo me perco
Há um laço, que abraço me lança...
Indomável onda, de brasas me cerco
Nessa alma, que inquieta me canta...

É no verso, desse mar que avanço
...Que ardo... no mesmo passo que danço...
Alardo chama, incêndio me faço
Abraço, velejo, entre vagas... balanço...

É dia, é noite... nesse vira e mexe...
Nessa dança que o vira não cansa
Nesse mexe, que sem aviso cresce...

E é lá... onde mãos nem chão, preciso
Nesse tecido que em mim se tece
Que valso...paixão navego...perdido...





Rz