sábado, 9 de maio de 2015

NOITE FOSSE...












Urdindo-se, umidade e desejo
...todo o sonho é noite...
Segredo sombra, até que o dia o roube
mastigue e cuspa...inebriante realidade...

Como se deus, milagre não fosse

sem as diabruras que o diabo tece...
Como se nascer, nascessem os dias
sem das noites, as dores e a prece...

Quantas paixões, não ser, seriam

se sangrar, não sangrássemos...
Quantos amores, perder, se perderiam
se desespero, não desesperássemos...

Quantos sonhos, quantos amores

quantos espinhos, flores(c)seriam
...Se amar, tanto, amassemos...
se sem tréguas...a noite fosse...!?...





2 comentários:

  1. Que ela permaneça ... em sonhos imorredouros...Abraço poeta de além mar

    ResponderEliminar